CLEITON BARBOSA FALA SOBRE SITUAÇÃO INTERNA DO GRUPO DE OPOSIÇÃO EM SANTA CRUZ E DIZ: “UMA COISA EU GARANTO: EM 2020 SOU CANDIDATO” | Blog do Marcondes Moreno

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

CLEITON BARBOSA FALA SOBRE SITUAÇÃO INTERNA DO GRUPO DE OPOSIÇÃO EM SANTA CRUZ E DIZ: “UMA COISA EU GARANTO: EM 2020 SOU CANDIDATO”

Share it Please
Em uma entrevista forte ao programa Marcondes Moreno na terça 14, o jovem político Cleiton Barbosa, falou francamente sobre temas relacionados principalmente com seu grupo político, ressaltando sua posição.

“ACHO QUE POR TUDO QUE FOI FEITO NA CAMPANHA, EU ESPERAVA UM RECONHECIMENTO MAIOR”

Candidato à vice na chapa de Fernando Aragão pelo grupo de oposição, Cleiton Barbosa falou sobre o pós-campanha, mostrando decepção com a falta do grupo caminhar unido. “Por onde passo sou cobrado pelos taboquinhas: Cadê Cleiton, ele não aparece. Logo que acabou a eleição, fui cuidar das minhas coisas e por ingenuidade eu achava que a partir do inicio desse ano haveria uma agenda do grupo, onde tivesse um evento o grupo estaria todo aglutinado, uma coisa que não acontece. Quando chegou 2017 houve uma divisão, cada um quer ser o centro, cada um indo para um canto. Acho que é válido, todos os representantes do grupo tem este direito, mas dentro de uma lealdade. Minha agenda não foi feita porque estava esperando justamente isto, vamos pra tal canto, vai todo mundo junto, e não sou daquele cara que tem malandragem, de chegar de supetão em determinado lugar. Acho que por tudo que foi feito na campanha, eu esperava um reconhecimento maior. Então estou procurando meu espaço”. 

“MEU NOME SEMPRE ESTEVE A DISPOSIÇÃO DO GRUPO PARA QUALQUER PROJETO, MAS TORÇO PARA O CANDIDATO SER JOSÉ AUGUSTO”

Em relação aos apoios para 2018, Cleiton Barbosa deixou claro o apoio a estadual a José Augusto Maia, mas com ressalvas: “Sou um homem de palavra. Foi discutido que em 2018 o candidato a estadual do grupo seria José Augusto, para mim não há nenhuma objeção. Se de fato, ele for o candidato vai ter meu apoio, e se ele não for, espero que o grupo tenha maturidade para discutir e decidir quem vai ser este candidato. Dependendo de quem seja, posso apoiar ou não este candidato, eu tenho esta liberdade. Meu nome sempre esteve à disposição do grupo para qualquer projeto, mas torço para o candidato ser José Augusto. Mas vou fazer uma ressalva se o candidato for ele, eu espero que eu seja convidado para as reuniões e decisões para de fato, está a par do projeto, para ver a viabilidade do projeto. Porque é uma coisa que está acontecendo em nosso grupo, passou a eleição de 2016 e não fizemos uma reunião de fato, para ver quais são os projetos”.

“JÁ SE VIU MATÉRIA DE VEREADORES QUE VISITAM MENDONÇA FILHO E QUE ESTIVERAM EM BELO JARDIM, E OUTROS PROJETOS QUE SÃO RUINS PARA O GRUPO”

Sobre a questão apoio a candidato federal em 2018, Cleiton Barbosa foi claro: “Espero que o grupo se reúna e se defina. Se olharmos dentro do grupo, existem várias pessoas se articulando para dar apoio a determinados candidatos. Já se viu matérias de vereadores que visitam Mendonça Filho e que estiveram em Belo Jardim e outros projetos que é ruim para o grupo. Se o grupo tem que apoiar só uma candidatura a federal, que se reúnam todos. Vem Marília Arraes um grupo vai e acompanha Marília, vem Ricardo Teobaldo e vai outro grupo e acompanha Teobaldo e o caminho não é este. Isso aí, deu errado em 2014, e tem que ser observado que 2020, passa por 2018 e este tem que ser um projeto muito bem feito”.

“TOINHO DO PARÁ QUE NÃO TEVE A CAPACIDADE DE INAUGURAR, DE FINALIZAR OS PROJETOS E AÍ CAIU NO COLO DE EDSON”

O empresário rebateu a tese de que Edson Vieira tenha feito um bom primeiro mandato. “O projeto de Edson começou a fracassar no inicio do seu mandato, quando com um mês de governo colocou a cidade em estado de calamidade, se contratando serviços sem licitação, vindo o primeiro escândalo, aquele da KMC. Tinha muitas conquistas deixadas por Toinho do Pará que não teve a capacidade de inaugurar, de finalizar os projetos e aí caiu no colo de Edson. Se formos destacar o governo de Edson a gente não vê uma obra que chamou a atenção da população e que fez com que a cidade se transformasse. O povo esperava moralidade na política, se fazer uma gestão moderna e uma gestão de impacto. Não vejo isto. Neste segundo mandato ele está sendo confrontado com o prefeito de Toritama, que tem verbas insignificante em relação a Santa Cruz e ônibus e ambulâncias são comprados com recursos próprios e Edson não consegue fazer isto com recursos bem maiores. A cidade tá pagando o pato”. Afirmou. 

“SE FERNANDO TIVESSE VENCIDO A ELEIÇÃO A CIDADE ESTARIA EM OUTRO PATAMAR”

Se a dupla Fernando e Cleiton chega viva politicamente em 2020, Cleiton Barbosa afirmou que “Espero que sim, torço demais, pois Fernando é uma pessoa do bem, e que me surpreendeu com suas atitudes, é uma pessoa séria e que se tivesse vencido a eleição a cidade estaria em outro patamar. Na rua escuto o clamor para que a chapa continue”.

“SE NÃO DER PARA SER PELO GRUPO, VOU ATRÁS DE UM PARTIDO E GARANTO, EM 2020 EU SOU CANDIDATO”

Em relação às pretensões do vereador Carlinhos da COHAB em ser o candidato à vice em 2020, o empresário pegou pesado: “É direito dele, uma pessoa que milita no grupo, mas só questiono a forma, o meio e a maneira, que eu não acho leal. A pessoa tem que vencer uma disputa interna no grupo por méritos e não querendo derrubar outro, penso desta forma. Dentro do grupo não briguei para ser candidato à vice, eu fui convidado. Há uma diferença, quando se é convidado. Estou tranquilo e não preocupado. E digo: Se não der para ser pelo grupo, vou atrás de um partido, e garanto, em 2020 eu sou candidato. Se dentro do meu entendimento houver uma decisão que considero injusta, vou seguir meu rumo”. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário